domingo, 27 de janeiro de 2013

Dão trabalho mas até fica giro!


Sempre roí as unhas mas no inicio do ano passado comprometi-me a parar com esse vicio feio (além de pouco higiénico, verdade seja dita) e deixá-las crescer. Foi um processo moroso, demoraram a crescer, quando cresceram eu não tinha jeito nenhum para limá-las, ficavam todas mal pintadas, lascava o verniz num piscar de olhos, era uma carga de trabalhos! Aquilo irritou-me então acabei por andar num vai-vém de rói, deixa crescer, rói, deixa crescer e por aí adiante até as deixar definitivamente crescer e começar a ganhar paciência para a coisa.
Passado um ano continuo sem paciência, não faço cá desenhos nem misturo cores (até porque sou mais para o simplista), porém há uns meses decidi experimentar fazer francesinhas porque sempre gostei de ver. Foi a minha primeira e única tentativa (entretanto quis fazer novamente mas ao pensar no trabalhão todo com a fita cola e ter que esperar que seque e blábláblá desisti) e até fiquei contente com o resultado. É uma coisa tipicamente feminina, mas adoro unhas e como nunca achei as mãos algo bonito que temos penso que se ao menos arranjarmos as unhas, as pusermos bonitas e completarmos com uns anéis fofinhos a coisa muda de figura e até parece menos feio!

E é isto,
Adeusinho passarinho!

3 comentários:

D.Pereira disse...

quando era criança queria roer as unhas só porque as minhas amigas roíam... xD felizmente nunca pegou. e não sei se é por nunca as ter roído, que acho que elas não dão trabalho nenhum, a não ser quando se decidem partir... acho que umas unhas e mãos bem cuidadas, dão outro aspecto a uma mulher :) ainda bem que conseguiste deixar de roer e que assim continue!

meet me on 9 disse...

Ah ainda bem que não pegou que depois de roídas elas inicialmente crescem muito fraquinhas e partem-se com facilidade e aí tinhas mais trabalho, pelo menos foi o que me aconteceu xD Sim, é o que eu acho, uma mulher pode andar muito bem vestida, penteada e maquilhada mas se não tiver umas mãos bonitas e cuidadas perde feminilidade!

D.Pereira disse...

concordo plenamente :)