sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Desafio de Fevereiro: dia 15


Queres-te casar algum dia?
Aqui está algo em que me contrario: eu não me quero casar, nunca quis. Sou ateia, não acredito em absolutamente nada antes se o conseguir ver, portanto não há nada que me ligue ao casamento, quer seja por igreja como pelo civil; sempre achei este evento um modo de gastar absurdas quantidades de dinheiro, fazer uma festa de um dia para celebrar um amor de anos, quiçá. E nunca me fez sentido nenhum. Quando era mais nova pensava que os casais casavam-se sempre, era uma espécie de obrigação - se namoras casas, se amas casas, se queres ter filhos casas - porém mais tarde descobri que os pais de uma amiga minha não eram casados, viviam juntos desde novos, tinham filhos e estavam juntos por união de facto, e foi aí que descobri que era isso que queria para mim. Quero viver com a pessoa que amo, partilhar a cama, juntar a escova de dentes dele à minha, quero ter filhos, ter uma conta em conjunto, partilhar o ordenado, viver como casados e no entanto não me quero casar, não quero um pedaço de papel que diga a que é que se resume a minha relação - não é um pedaço de papel que me faz amar mais ou menos ou que me dá a felicidade. Não preciso de gastar rios de dinheiro para ser feliz ou para partilhar a vida com a pessoa que quero a meu lado o resto dos meus dias. 
Hoje em dia considero o casamento um luxo, vejo a minha prima noiva à dois anos por ainda não poder pagar um casamento, vejo pessoas a quererem divorciar-se e não terem dinheiro para o fazer; claro está que o meu pai não pensa assim, para ele devia casar-me antes de ir viver com alguém (e esta mentalidade retrógrada mata-me) mas males não me faltassem se tivesse que casar por obrigação, eu sempre lhe disse que não há nada melhor para uma relação do que viverem juntos, partilharem um espaço. Por mais que uma relação seja boa e estável nunca convivemos com o nosso parceiro 24h sob 24h por dia e quando vamos viver com ele estamos a fazer um teste à nossa relação, a ver como lidamos com algumas manias que não conhecíamos, com ele a deixar loiça espalhada por toda a casa, connosco a deixarmos a banheira com cabelos: na minha opinião é necessário passar-se por isso antes de se avançar para o passo que é o casamento.
Portanto não, não faço tensões de me casar, porém também sou rapariga e às vezes penso como seria caminhar para o altar com um vestido branco e ver a pessoa que amo ao fim do trajecto a sorrir para mim daquele modo apaixonante e com um brilho emocionado no olhar...

1 comentário:

D.Pereira disse...

compreendo e respeito a tua opinião... eu também não sou religiosa, os meus pais são apenas juntos... mas desde pequena que tenho o sonho de uma festa de casamento, de me vestir de noiva, de ter fotos de casamento... acho que é a necessidade de algo simbólico.