quinta-feira, 2 de maio de 2013

O Jardim do Torel



Estávamos no ano de 2011, dia 18 de Junho, e o namorado e eu decidimos ir até Lisboa passear. Ele conhecia aquilo de alto a baixo e queria mostrar-me os sítios mais giros da cidade que adoro mas onde me perco sempre: apanhámos o barco cedo e lá fomos nós. Era um sábado e tinha passado a semana toda sem o ver porque fiquei em casa a estudar para o exame nacional de português que seria dia 20, dia dos meus anos, dia esse que eu passaria igualmente a estudar porque tinha exame nacional de história no final dessa semana; assim ele disse que para compensar o meu dia de aniversário que seria uma bodega iria aproveitar para me tirar de casa e passearmos os dois. E adorei, está claro. Levou-me a imensos sítios  nesse dia até foi o concerto do Tony Carreira na Avenida da Liberdade e andámos por lá a ver a feira da agricultura ou como aquilo se chama, que a propósito é super gira e chamem-me pacóvia à vontade, mas o local que mais gostei foi o Jardim do Torel. Ele disse que me ia levar a um jardim que tinha descoberto com a melhor amiga quando foram estudar para Lisboa e decidiram descobrir os cantos da capital mas que teríamos que andar imenso, sobretudo subir ruas... está claro que fiquei logo desmoronada, podia estar no auge do meu peso ideal e forma física mas nunca deixei de ser preguiçosa, porém ele convenceu-me e lá fomos nós, ruas acima, eu já de bofes de fora e "ai jesus que vou morrer". Mas foi chegar lá e já estava com a energia toda reposta, apaixonei-me! O jardim do Torel é um local pouco frequentado, talvez por ser difícil lá chegar ou porque não é tão conhecido como os miradouros, mas é um dos locais mais pacatos em que estive em Lisboa; tem uns bancos que são um mimo, com poiso para pés e tudo e a vista é fenomenal, de tirar o fôlego a qualquer um, Lisboa apresenta-se a nós no seu auge de esplendor e simplicidade e no entanto tão cativante e acolhedora. Assentámos poiso num dos bancos e por ali ficámos durante horas a apreciar a vista, a tranquilidade, o ambiente e claro, a companhia um do outro, falámos como se não houvesse amanhã e naquele momento éramos nós dois e o mundo, foi maravilhoso. 
Foi um dos dias da nossa relação que mais gostei, em que não tivemos que nos preocupar com nada, não havia qualquer pensamento a poisar na nossa mente - acreditem ou não, eu andava há um mês em pânico com os exames (e depois do resultados o pânico explicou-se) e nesse dia nem me lembrei que em menos de 48h o meu futuro estava prestes a ser decidido - e em que simplesmente aproveitámos cada pequeno segundo e não desperdiçámos nada. 
Desde então já fomos passear mais vezes para Lisboa mas nunca mais voltámos ao Jardim do Torel, porém gostei tanto do sitio, apaixonei-me tanto, que quero lá voltar e ter a mesma sensação maravilhosa que tive naquela altura, e quero que seja ainda este verão. Já disse ao namorado que este verão é imperativo que lá voltemos e desta vez vou trazer memórias fotográficas, mesmo que a imagem não retrate de todo a sumptuosidade do local ;)

3 comentários:

Alma C disse...

engraçado que sempre que metem fotos de um local, não costumo conhecer... desta vez, não aconteceu... também só tive aí numa passeata que fiz, mas achei um sitio muito bonito...

D.Pereira disse...

eu por acaso lembro-me desse dia da feira e do tony... ainda só tive uma vez nesse jardim... foi num meeting de fotografia... também trouxe daí umas belas fotos :)

meet me on 9 disse...

Alma C: também me costuma acontecer, foi uma coincidência então :) é verdade, bonito e calmo!
D. Pereira: eu achei super engraçado, era só velhotes e até me senti tentada a levar coisinhas para a minha avó xD